14 de junho de 2019

DNS Recursivo com Unbound! Do Pequeno ao Grande!




Sempre que falamos sobre DNS encontramos muitas divergências. É um assunto de interesse de todos provedores e muitos acabam escolhendo o caminho errado ou utilizando servidores públicos sem entender profundamente qual o real impacto disso na experiência de navegação dos seus assinantes.

Aqui mesmo neste blog, um dos posts mais vistos é justamente sobre este assunto. E também por tudo isso eu lancei um treinamento de DNS Recursivo que sem dúvida alguma, vai ser o treinamento definitivo pra quem quer aprender a criar uma solução completa e resolver de vez todos seus problemas.

Não importa se você tem 50 assinantes ou 50 mil assinantes, neste treinamento você vai aprender a montar a solução completa.

Já parou pra pensar como os servidores como o do Google ( 8.8.8.8 ) funcionam? Utilizando diversos dispositivos, sempre o mais perto do seu assinante respondendo e garantindo uma disponibilidade absurda?

Isso é só uma das coisas que você vai aprender a montar dentro da sua rede com seus próprios servidores de DNS.

Mas ainda vamos além..  você vai aprender VMWare, Linux, Docker e muito mais!

Não é só um treinamento de DNS, e se você ficou interessado, não deixe de baixar nosso PDF onde explicamos tudo que há no treinamento e todos os motivos que nos levam a crer que não há treinamento tão completo sobre o assunto hoje em dia no nosso mercado.


E é ONLINE! Com aulas ao vivo!

A primeira turma esgotou, eram 40 vagas, e nossa próxima turma acontecerá dia 01 de Agosto de 2019...  16 delas também já foram, então..  você tem pouco tempo!

Dê uma olhada aqui: https://docdro.id/XhcUuW9

E se gostar, você ainda pode se inscrever aqui: http://network.education/treinamentos/recursivo-para-pequenos-e-grandes-t2/

Espero vocês!

WSL2 no Windows 10

Olá amigos,

Neste semana a Microsoft anunciou o WSL2 com um kernel completo do linux, já disponível pra quem participa do Programa Insiders ( https://insider.windows.com/pt-br/ ).

Trazendo o melhor de dois mundos sem gambiarras, o kernel completo do Linux em uma aplicação rodando sobre o Windows nos abre muitas possibilidades e elimina uma série de problemas do WSL1. Problemas como limitações do sistema de arquivos, IO de disco, e principalmente a compatibilidade pra quem utiliza docker.

Antes era necessário instalarmos o servidor Docker no windows, que por sua vez utilizava uma docker-machine linux rodando dentro do Hyper-V do próprio sistema operacional. Depois era necessário integrar o WSL com o server Windows. Ou seja, uma gambiarra infernal.

Com um kernel completo, agora podemos rodar nativamente. Acredite, até um ambiente gráfico como o GNOME pode ser rodado a um clique de distância!

Vale lembrar, que ao contrário do que alguns títulos das notícias levam a entender, o Windows não está utilizando o Kernel do Linux como base pra rodar, eles apenas incluíram o kernel completo no WSL. E que para rodá-lo, você já deve estar com a opção de "Subsistema Linux" habilitado nos recursos adicionais do seu windows.

Veja a nova arquitetura do sistema:



Para rodá-lo, você precisa fazer parte do insider no link que postei acima. Depois de ter sua conta vinculada, você precisa efetuar algumas configurações no seu Windows.

Em "Configurações do Programa Windows Insider" você precisa obrigatoriamente estar com o Modo Lento selecionado:



Depois, você precisará ficar verificando atualizações ( no meu levou em torno de 1 hora pra aparecer ):



A atualização irá ocorrer como uma outra qualquer, claro que um pouco mais demorada pois é grande. Após ter reiniciado seu sistema e tê-lo atualizado, você precisa ter uma aplicação linux instalada, você pode instalar simplesmente buscando por "Linux" na Microsoft Store, escolher a sua distribuição favorita e então instalar.




Feito isso, você precisa setar o WSL2 como padrão. Para isso, abra o Power Shell como Adminstrador.



E dentro dele, habilitarmos a nova funcionalidade:

Enable-WindowsOptionalFeature -Online -FeatureName VirtualMachinePlatform

Talvez neste ponto, seja preciso reiniciar.

Depois, sete a versão 2 como padrão através do comando:

wsl --set-default-version

Depois, caso você tenha optado pelo ubuntu, sete-o também para a versão 2:

wsl --set-version Ubuntu 2

Se você escolheu outra, ou tem mais de uma, use o wsl -l para listar todas distribuições disponíveis.

Reinicie e aproveite seu sistema linux completo!

Até a próxima!